Bispo de Viseu, Dom António Luciano dos Santos Costa

JavaScript is disabled!
To display this content, you need a JavaScript capable browser.

Ver Todos
Ver Todos

Ver Todos
Iniciativa decorre no Seminário da Guarda - Segunda sessão da Assembleia Diocesana dedicada à evangelização
http://www.diocesedaguarda.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/381078Bispo_Luciano_1.JPGlink
http://www.diocesedaguarda.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/143037clero_1.JPGlink
http://www.diocesedaguarda.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/717160Bispo_Luciano_2.JPGlink
http://www.diocesedaguarda.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/472424Dia_da_Ig.JPGlink

O Padre Manuel Matos, Vigário Geral da Diocese da Guarda vai presidir à Comissão Organizadora que terá como missão preparar a Ordenação Episcopal de D. António Luciano dos Santos Costa,

Ver Mais

O Dia Diocesano do Clero da Guarda vai decorrer a 23 de Maio, no Seminário da Guarda, entre as 10.00 e as 16.30 horas. Esta iniciativa pretende promover “a alegria do

Ver Mais

Saudamos D. António Luciano dos Santos Costa, eleito Bispo de Viseu E o Senhor passou novamente pelo Presbitério da Guarda. E chamou o nosso Padre António Luciano dos Santos Costa para o

Ver Mais

Como consta no nosso calendário anual, vamos celebrar o Dia da Igreja Diocesana no dia 2 de Junho, sábado da próxima semana. O programa será o seguinte: De manhã, com início às

Ver Mais

Diocese da Guarda - Bispo nomeia comissão organizadora da ordenação Episcopal de D. António Luciano

O Padre Manuel Matos, Vigário Geral da Diocese da Guarda vai presidir à Comissão Organizadora que terá como missão preparar a Ordenação Episcopal de D. António Luciano dos Santos Costa, no dia 17 de Junho, na Sé da Guarda.
A Comissão integra também os padres Carlos Lages (pároco da Sé), Carlos Dionísio de Sousa (pároco da paróquia do novo Bispo), Serafim Reis (Seminário da Guarda). Fazem ainda parte da Comissão o Médico Reis Pereira e as enfermeiras Claudina e Ester (ULS Guarda) e José Rosa (professor na Universidade da Beira Interior). Esta Comissão vai cuidar da logística necessária para a celebração litúrgica (espaços da Sé, incluindo som e imagem, utilização da via pública na procissão de entrada da Misericórdia para a Sé, prever lugares de estacionamento e fazer os contactos necessários com as autoridades locais, sobretudo autárquicas e de segurança. A oferta das insígnias episcopais e o jantar de confraternização são outras das incumbências desta comissão nomeada pelo Bispo da Guarda, D. Manuel Felício. O báculo do novo bispo será oferecido pelos padres da Diocese da Guarda, o anel pela paróquia de origem do ordinando (Sandomil – Seia), a cruz peitoral por pessoas ligadas à ULS da Guarda e a Mitra e outras vestes litúrgicas por pessoas ligadas à Universidade da Beira Interior. A celebração do dia 17 de Junho está a ser preparada pelo Secretariado Diocesano de Liturgia.

Guarda - Dia Diocesano do Clero

O Dia Diocesano do Clero da Guarda vai decorrer a 23 de Maio, no Seminário da Guarda, entre as 10.00 e as 16.30 horas.
Esta iniciativa pretende promover “a alegria do encontro” e pretende apresentar os seguintes pontos: Apresentação de uma proposta de website da Diocese, acompanhada de uma outra proposta de programa de organização de serviços paroquiais; diálogo sobre a estratégia a desenvolver para aplicar a lei europeia de protecção de dados; fazer a auscultação sobre a nomeação para Vigário Episcopal do Clero.

Em louvor da vocação sacerdotal

Saudamos D. António Luciano dos Santos Costa, eleito Bispo de Viseu
E o Senhor passou novamente pelo Presbitério da Guarda. E chamou o nosso Padre António Luciano dos Santos Costa para o fazer Bispo da Diocese de Viseu. Damos-lhe graças por esta Sua palavra, que é também de apreço e distinção dirigida à nossa Diocese e em particular ao seu Presbitério. Acompanhamos o novo Bispo de Viseu com a nossa oração. Sabemos que ele leva do meio de nós, em primeiro lugar, a experiência de Vigário Episcopal para o Clero, ao longo dos últimos sete anos, em que procurou viver a proximidade com todos e cada um dos nossos sacerdotes; leva a sua competência própria no mundo da pastoral da saúde, demonstrada de muitas maneiras, a última das quais como capelão do Hospital Sousa Martins integrado na ULS-Guarda; leva principalmente a sua dedicação como pastor de várias comunidades paroquiais, ao longo das três décadas de Ministério Sacerdotal que viveu connosco. Parte em resposta à chamada do Senhor, que sempre nos surpreende, como surpreendeu Abraão, para ir ao encontro do desconhecido, mas reconfortado com a promessa de que “Deus providenciará”. E assim acreditamos nós também que Deus providenciará não apenas para encontrarmos quem o substitua nas muitas tarefas pastorais que lhe estão confiadas, mas também e principalmente com o despertar de novas vocações sacerdotais, que venham trazer renovada esperança às nossas comunidades agora especialmente interpeladas pela assembleia diocesana em processo de recepção. A Ordenação Episcopal está marcada para o dia 17 de Junho, às 16.00 horas, na nossa Sé da Guarda e o início da sua actividade pastoral como Bispo de Viseu para o dia 22 de Julho. Que Deus seja louvado. Guarda, 3 de Maio de 2018 +Manuel R. Felício, Bispo da Guarda

Dia da Igreja Diocesana 2018 - mensagem de D. Manuel Felício

Como consta no nosso calendário anual, vamos celebrar o Dia da Igreja Diocesana no dia 2 de Junho, sábado da próxima semana.
O programa será o seguinte: De manhã, com início às 10.30 horas, no Centro Apostólico (Guarda) – encontro com secretariados, movimentos, serviços e obras de apostolado, sob orientação do Coordenador Diocesano da Pastoral, Rev.do Padre Jorge Manuel Pinheiro Castela. De tarde, a solene celebração diocesana, na Sé, com apresentação da prometida carta pastoral sobre a recepção da Assembleia Diocesana. Às 15.00 horas, haverá concentração no Largo da Misericórdia, seguindo-se cortejo da procissão de entrada, em direcção à Sé. O cortejo organizar-se-á por arciprestados, quanto possível ostentando cada um os respectivos lenços com cores próprias e acompanhados das respectivas bandeiras. A seguir, solene Eucaristia na Sé. Antes da bênção final, será apresentada a carta pastoral referida. Com esta celebração queremos começar uma nova etapa no nosso percurso pastoral, depois da Assembleia Diocesana, que procurámos preparar e realizar e agora queremos aplicar em caminhada sinodal. No cortejo da procissão de entrada da Misericórdia para a Sé, a ordem é a seguinte: 1. Cruz e lanternas; 2.Arciprestados por ordem alfabética e com as respectivas insígnias; 3. Diáconos; 4.Sacerdotes; 5.Bispo Diocesano, com Vigário Geral e Coordenador Diocesano da Pastoral. A cor dos paramentos é a verde. +Manuel R. Felício, Bispo da Guarda

Galeria Multimédia

Bispo de Viseu, Dom António Luciano dos Santos Costa

JavaScript is disabled!
To display this content, you need a JavaScript capable browser.

Ver Todos
Ver Todos

Ver Todos

Receba a nossa newsletter:


Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Iniciativa decorre no Seminário da Guarda - Segunda sessão da Assembleia Diocesana dedicada à evangelização
alt “Evangelizar para ser… pessoa e comunidade” é o tema central da segunda sessão da Assembleia Diocesana que vai decorrer no Seminário da Guarda, no dia 20 de Maio, a partir das 10.00 horas. A iniciativa junta mais de duzentos participantes em representação de todas as paróquias e organismos ligados à Diocese da Guarda. As proposições incidem sobre os seguintes pontos: Primazia da Palavra de Deus; Etapas da formação cristã; Modalidades da formação cristã; A Homilia e sua preparação; A Catequese e sua renovação; A evangelização dos jovens; A evangelização da família; Os casais novos; A evangelização e a comunicação social; A evangelização e o compromisso com os pobres. No tocante à Primazia da Palavra de Deus as propostas passam pela formação bíblica, organização de pequenas assembleias familiares e realização de semanas bíblicas. Nas etapas da formação cristã são sugeridas modalidades de formação cristã dirigidas especificamente às várias idades e é pedida “com urgência” a formação cristã de adultos. Na proposta sobre as modalidades da formação cristã é sugerida a valorização dos movimentos laicais, a criação de grupos de estudo e de busca de aplicação dos documentos do Magistério da Igreja, a promoção de momentos de reflexão, de novas formas de evangelização, e de situações de diálogo de natureza religiosa, política, económica, social e cultural, incluindo o diálogo inter-religioso. Sobre a homilia é pedido que “sejam preparadas cuidadosamente”, com uma linguagem simples e clara, adequada aos ouvintes, e que transmita alegria e que “se crie espaço para a partilha da palavra”. No tocante à catequese as proposições sugerem “uma formação adequada” dos catequistas, a revisão do percurso catequético, e a preparação de um documento quinzenal ou mensal, com questões sobre a catequese. Na evangelização dos jovens as propostas apontam para encontros, voluntariado juvenil e valorização dos movimentos de formação da juventude (escutismo, grupos de acção missionária, etc.). A evangelização da família deve passar pela criação de serviços paroquiais de acolhimento, pela criação de equipas arciprestais que identifiquem situações de carência, e pela promoção de acções de formação. Em relação aos casais novos, as propostas pedem melhor cuidado e preparação dos jovens para o matrimónio, bem como a promoção da integração de casais jovens na vivência da vida cristã da comunidade. “Atenção particularizada aos casais nas situações de especial alegria familiar” e a sua “inserção nos movimentos familiares cristãos”, são outras das recomendações. No tocante aos meios de comunicação social as propostas pedem a sua utilização ao serviço da evangelização. É ainda sugerida a reformulação do Serviço diocesano de comunicação e a criação de um “serviço on line para a visualização da Eucaristia” para quem não o possa fazer presencialmente. A última proposta é sobre “a evangelização e o compromisso com os pobres”. Neste ponto é pedido que se aperfeiçoe “o funcionamento dos organismos específicos de cuidado dos pobres” (Cáritas) e se desenvolvam “formas organizadas de solidariedade”. É também pedida a “criação de equipas pluridisciplinares”, que se olhe para “as várias formas de pobreza espiritual e cultural” e que se preste “especial cuidado pastoral aos não praticantes e a todos os que se situam nas periferias”.