Diocese da Guarda quer Vilar Formoso como grande porta de entrada da juventude

Diocese da Guarda quer Vilar Formoso como grande porta de entrada da juventude

A pensar na Jornada Mundial, em Lisboa, em 2022

Diocese da Guarda quer Vilar Formoso como grande porta de entrada da juventude

 

“Fazer de Vilar Formoso uma grande porta de entrada da juventude” é o grande desafio do Departamento da Pastoral Juvenil Universitária e Vocacional (DP-JUV) da Diocese da Guarda, para a Jornada Mundial da Juventude, que vai decorrer em Portugal, em 2022.

O padre Luis Freire, responsável pela Pastoral Universitária explicou por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa, “cidades como a Guarda, Covilhã e Fundão” devem ser “centros de acção e de acolhimento para a pré-jornada”.

 

A ideia de fazer da Diocese da Guarda o ponto de encontro de muitos jovens, que em 2022 vão passar por Portugal, foi partilhada pelos responsáveis do Departamento da Pastoral Juvenil Universitária e Vocacional, logo que o Papa Francisco anunciou o País de acolhimento da próxima Jornada Mundial.

 

“Que a Igreja de Jesus presente na Diocese da Guarda seja uma verdadeira porta para as próximas JMJ Lisboa 2022”, pode ler-se na página do Departamento. A mensagem acrescenta: “E, que por esta porta, que por sinal é símbolo principal do logo do nosso DP-JUV, possam entrar, experimentar e sair muitos jovens amigos de Jesus ao encontro dos outros”.

 

A pensar na Jornada Mundial da Juventude, o Coordenador Diocesano da Pastoral quer que os próximos três anos sejam dedicados à família e aos jovens. O padre Jorge Castela quer que o primeiro ano (2019/2020) seja dedicado à prospecção da realidade existente na Diocese da Guarda; o segundo (2020/2021) à sensibilização e à intervenção; e o terceiro (2021/2022) à celebração com a Jornada Mundial da Juventude e uma outra jornada dedicada à Família.

 

“Em cada ano vamos tentar atingir uma meta”, explicou o padre Jorge Castela ao Jornal A GUARDA.

Em relação aos jovens, considera importante “criar um itinerário para as Jornadas Mundiais da Juventude” que “tem de ser feito por todas as paróquias”. Este responsável garante que na Diocese da Guarda existem todas as condições para receber grupos de jovens que entrem pela fronteira de Vilar Formoso a caminho de Lisboa.

Quarta, 17 de Julho de 2019