Conselho Presbiteral debateu constituição dos novos arciprestados

Conselho Presbiteral debateu constituição dos novos arciprestados

Diocese da Guarda

Conselho Presbiteral debateu constituição dos novos arciprestados

 

O Conselho Presbiteral da Diocese da Guarda reuniu na passada sexta-feira, dia 29 de Novembro, no seminário da Guarda.

Na reunião foi apreciado o decreto episcopal que institui os novos arciprestados, em número de sete e define o quadro dos serviços diocesanos de pastoral.

Em comunicado, o Secretariado Permanente refere que foi chamada a atenção para que “os novos arciprestados devem espelhar o mais possível a nossa vontade de promover uma pastoral de conjunto adaptada à nova realidade social de distribuição das pessoas pelo vasto território desta Diocese e também ao desejo de progredir no esforço a favor da aproximação e coope­ra­ção entre as diferentes comunidades, o que pede um novo modelo de paroquialidade”.

Durante a análise deste ponto foram dadas indicações para o melhor enquadramento de algumas paróquias no respectivo novo arciprestado. A nova proposta sugere a redução do número de arciprestados, passando de catorze para sete (Covilhã, Guarda-Manteigas-Belmonte, Pinhel-Figueira de Castelo Rodrigo, Sabugal-Almeida, Fundão-Penamacor, Seia-Gouveia, Trancoso-Celorico).

Quanto aos serviços diocesanos de pastoral, além de ser sublinhada a importância de dar relevo à cateque­se de adultos, insistiu-se em que, ao entregar a res­pon­sabilidade dos diferentes serviços, os leigos neles possam ter o devido lugar e mesmo lhes possa ser confiada a presidência de alguns.

“Tendo em conta a importância dos movimentos apostólicos na vida pastoral da Diocese, constatou-se a necessidade de fazer a avaliação dos que já existem e apelou-se para que se faça esforço no sentido de acolhermos outros novos que as atuais circunstâncias estão a pedir” refere o Secretariado Permanente.

O documento dá conta de que “partindo do princípio de que só uma espiritualidade dos nossos sacerdotes forte e bem orientada pode impulsionar a desejada renovação pastoral da Dioce­se, foram dadas sugestões para a organização do reti­ro anual do clero sacerdotal, mas também sobre ou­tras iniciativas, como as recoleções de Advento e Qua­res­ma e igualmente se sublinhou a importância dos encontros regulares dos sacerdotes dentro da preo­cupação de dar à sua vida a devida dimensão comu­nitária”.

Outro ponto da reflexão deste Conselho foi o Semi­nário e a promoção das vocações sacerdotais. Depois de apresentado um relatório sobre o Seminário pelo Reitor, padre Paulo Figueiró, e ainda sobre a situação actual do Pré-Seminário, sugeriu-se que se intensifique o contacto com os serviços da catequese paroquial, através da Diocese, mas também com as escolas, incluindo o ensino superior e universitário. Dada a importância do assunto para a vida da Dioce­se, pediu-se que ele seja reagendado para uma próxi­ma sessão deste Conselho.

O Conselho Presbiteral abordou ainda a questão da pastoral juvenil, quando se pre­para já a próxima Jornada Mundial da Juventude prevista para Portugal, em 2022. Este organismo diocesano recomendou que “os centros populacionais com mais visibilidade orga­nizem grupos de jovens que poderão ser partici­pa­dos por jovens também das localidades mais próxi­mas e com menos população”.

 

 

Sexta, 6 de Dezembro de 2019