Bispo da Guarda ordenou quatro novos diáconos permanentes

Bispo da Guarda ordenou quatro novos diáconos permanentes

No dia 8 de Dezembro na Sé Catedral

Bispo da Guarda ordenou quatro novos diáconos permanentes

 

“Caros candidatos ao Ministério Ordenado de diáconos permanentes, damos graças por este dia e pela vossa escolha de aceitardes o convite que o próprio Jesus Cristo vos faz para serdes servidores do Povo de Deus como Ele o serviu”, disse o Bispo da Guarda, na homilia da Missa do dia 8 de Dezembro, na Sé da Guarda, em que ordenou quatro novos diáconos permanentes.

Aos que iam ser ordenados, D. Manuel Felício lembrou que Jesus lhes pede “a diaconia da Palavra ou seja o máximo empenho para anunciar a Palavra de deus, não apenas com a sua proclamação na assembleia litúrgica dominical ou outra, mas também no serviço da Evangelização e da Catequese, não só exercendo o ministério de catequista, mas também como formadores dos outros catequistas e organizadores da catequese”.

Perante uma grande número de fiéis que enchiam a Sé Catedral, o Prelado explicou aos novos diáconos que “exercendo a diaconia da Liturgia, no serviço do altar, é-vos confiado o ofício de servir o Bispo e o Presbítero nas celebrações, sobretudo da Eucaristia, mas também a presidência de assembleias dominicais na ausência do Presbítero, a presidência de outros sacramentos e da Liturgia das Horas, com participação de outros fiéis e ainda organizar a formação e acompanhamento dos diversos ministérios litúrgicos, tais como leitores e acólitos”.

D. Manuel Felício recordou ainda que “a diaconia da caridade é aquela que, desde o início, mais identificou a missão dos diáconos com a expressão bíblica do serviço das mesas” e, por isso, pediu, aos que iam ser ordenados, a participação “na organização do serviço paroquial ou interparoquial de apoio aos pobres, doentes e mais abandonados, além de procurardes combater outras formas de pobreza, organizando e orientando grupos de oração, apoio às famílias e aos jovens ou simplesmente tomando iniciativas para promover e defender os valores fundamentais da vida em todas as suas fases”.

O Prelado pediu também o exercício da diaconia da administração explicando que “a função caritativa do diácono comporta também um oportuno serviço na administração dos bens e das obras de caridade na Igreja”.

D. Manuel Felício lembrou ainda que a reorganização da Diocese que está em curso conta com os novos diáconos “para o exercício da responsabilidade de condução da vida das nossas comunidades”.

No Domingo, 8 de Dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, foram ordenados Diáconos Carlos Alberto Martins Ventura, José da Silva Tenreiro, Paulo Caetano Abrantes Jorge e Pedro Miguel Santos Ferreira.

 

Sexta, 13 de Dezembro de 2019