Conselho Pastoral Diocesano analisou mudanças do número e nova configuração dos Arciprestados

Conselho Pastoral Diocesano analisou mudanças do número e nova configuração dos Arciprestados

Diocese da Guarda

Conselho Pastoral Diocesano analisou mudanças do número e nova configuração dos Arciprestados

 

As mudanças do número e nova configuração dos Arciprestados, e também a proposta das Unidades Pastorais ou Comunidades Interparoquiais, dentro do projecto de reorganização pastoral da Diocese, foram assuntos em análise no Conselho Pastoral Diocesano que decorreu no Seminário da Guarda, no dia 29 de Fevereiro. Os membros do Conselho trocaram informações sobre a forma como está a ser recebida, na Diocese, a notícia da redução dos arciprestados, dos actuais 15 para 7. Na nova configuração proposta desaparecem os arciprestados de Alpedrinha e Rochoso e todos os outros são reestruturados.

D. Manuel Felício, que presidiu à reunião, agradeceu o trabalho realizado por este Conselho Pastoral, durante o seu mandato, tendo em conta que vai haver a sua reformulação, fruto da reorganização pastoral da Diocese.

Na reunião foi destacada a importância da dinâmica da Quaresma preparada pelos Departamento Diocesano da Catequese da Infância e Adolescência e do Ensino Religioso, enviada aos párocos como contributo para a vivência quaresmal nas comunidades. “O ritmo das leituras bíblicas dominicais deste tempo especial e o facto da recepção dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude/2022, no próximo Domingo de Ramos são as duas grandes referências desta dinâmica”, explica o comunicado do Secretariado permanente do Conselho Pastoral Diocesano.

O aproveitamento pastoral das tradições populares ligadas à Quaresma, “que estão a ser apadrinhadas, com estatuto de eventos culturais, por instituições da sociedade civil, nomeadamente Câmaras Municipais e Associações”, foi outro dos assuntos em análise.

Os membros do Conselho constataram que a tradição dos retiros, muito forte na Diocese, sobretudo os quaresmais, “está a ter dificuldade em continuar a afirmar-se, o que exige esforço suplementar” para motivar a caminhada espiritual das pessoas e dos grupos.

A ocasião serviu também para indicar a finalidade da renúncia quaresmal deste ano, “incluindo a satisfação de pedidos feitos por Dioceses africanas, que têm muitos seminaristas e estão com dificuldade de os sustentar”. Este ano, a renúncia quaresmal será orien¬tada para os seminários, nomeadamente o de Sumbe (Angola) e o Seminário da Guarda.

Diante da lista dos movimentos apostólicos existentes na Diocese, o Conselho Pastoral Diocesana apontou a necessidade de reformar alguns, e de acolher novas propostas, nomeadamente os Cursos Alfas e as iniciativas da Missão País.

O Conselho Pastoral Diocesano é presidido pelo Bispo da Diocese e integra membros por inerência do cargo (Vigário Geral, Coordenador Diocesano da Pastoral e o Reitor do Seminário da Guarda), representantes dos Secretariados Diocesanos e Departamentos, representantes da vida de especial consagração, delegados dos arciprestados, designados pelo Bispo.

 

Segunda, 9 de Março de 2020