São João Paulo II - 100 anos

São João Paulo II - 100 anos

O Papa Francisco presidiu hoje, 18 de Maio, a uma Missa junto ao túmulo de São João Paulo II, na Basílica de São Pedro, assinalando o nascimento do santo polaco, que evocou como “um homem da misericórdia”.

João Paulo II determinou, no ano 2000, que o primeiro domingo a seguir à Páscoa, o segundo do Tempo Pascal, se passasse a denominar da “Divina Misericórdia”, no seguimento das indicações redigidas no ‘Diário’ de Santa Maria Faustina Kowalska.

 

Karol Jozef Wojtyla nasceu em Wadowice (Polónia), a 18 de Maio de 1920; foi eleito Papa a 16 de Outubro de 1978, e morreu no Vaticano, a 2 de Abril de 2005; o Papa Francisco canonizou-o a 27 de Abril de 2014, perante mais de um milhão de pessoas.

 

Em 1938 foi admitido na Universidade Jagieloniana, onde estudou poesia e drama; durante a II Guerra Mundial (1939-1945) esteve numa mina em Zakrzowek, trabalhou na fábrica Solvay e manteve uma intensa actividade ligada ao teatro, antes de começar clandestinamente a sua formação como seminarista, acolhido pelo cardeal de Cracóvia.

 

Karol Wojtyla foi ordenado sacerdote em 1946, no dia 23 de Setembro de 1958 foi ordenado bispo-auxiliar do administrador apostólico de Cracóvia.

 

Participou no Concílio Vaticano II, onde colaborou activamente nas comissões responsáveis pela Constituição Dogmática Lumen Gentium e a Constituição Conciliar Gaudium et Spes; a 13 de Janeiro de 1964 assume a sede episcopal de Cracóvia e, dois anos depois, o Papa Paulo VI eleva a diocese a arquidiocese cria Karol Wojtyla cardeal, aos 47 anos, em maio de 1967.

 

O cardeal Wojtyla foi eleito Papa no dia 15 de Outubro de 1978, o primeiro pontífice não-italiano desde 1522.

 

Na habitual resenha biográfica que é apresentada no calendário dos santos e beatos, João Paulo II é lembrado pela “extraordinária solicitude apostólica, em particular para com as famílias, os jovens e os doentes, o que o levou a realizar numerosas visitas pastorais a todo o mundo”.

 

“Entre os muitos frutos mais significativos deixados em herança à Igreja, destaca-se o seu riquíssimo Magistério e a promulgação do Catecismo da Igreja Católica e do Código de Direito Canónico para a Igreja latina e oriental”, pode ler-se.

 

Aos fiéis é proposta ainda uma passagem da homilia de João Paulo II no início do seu pontificado, precisamente a 22 de Outubro de 1978, na qual afirmou: “Não tenhais medo! Abri as portas a Cristo!”.

 

Entre os seus principais documentos, contam-se 14 encíclicas, 15 exortações apostólicas, 11 constituições apostólicas e 45 cartas apostólicas.

Segunda, 18 de Maio de 2020