Bispo da Guarda manda suspender celebrações vespertinas

Bispo da Guarda manda suspender celebrações vespertinas

Estado de Emergência proíbe circulação na via pública

Bispo da Guarda manda suspender celebrações vespertinas

Na sequência das medidas resultantes do Estado de Emergência, o Bispo da Guarda determinou que nas paróquias da Diocese da Guarda, dos concelhos de Belmonte, Castelo Branco, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Pinhel e Trancoso que, nos fins-de-semana de 14 - 15 e 21 – 22 de Novembro, “não poderá haver celebrações vespertinas (sábado) ou previstas para a tarde de Domingo”.

D. Manuel Felício pede que se encontre maneira de “celebrar em outro dia, que poderá ser o sábado de manhã, se as circunstâncias o aconselharem”.

Desde segunda-feira, 9 de Novembro, que Portugal está em Estado de Emergência. A medida foi decretada no dia 6 de Novembro, pelo Presidente da República o que levou o Conselho de Ministros a determinar a proibição de circulação na via pública entre as 23.00 e as 5.00 horas em dias de semana e a partir das 13.00 horas aos sábados e domingos. Esta medida aplica-se exclusivamente aos 121 concelhos com risco elevado de transmissão da Covid-19. No âmbito da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela estão em risco elevado os concelhos de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Pinhel e Trancoso.

A medida dá a possibilidade de realizar medições de temperatura corporal por meios não invasivos, no acesso a locais de trabalho, estabelecimentos de ensino, meios de transporte, espaços comerciais, culturais e desportivos.

Outra das medidas passa pela possibilidade de exigir testes de diagnóstico para a COVID-19 nas seguintes situações: em estabelecimentos de saúde; estruturas residenciais; estabelecimentos de ensino; à entrada e à saída de território nacional, por via aérea ou marítima; em Estabelecimentos Prisionais; e outros locais, por determinação da DGS.

O novo estado de emergência abre também a possibilidade de requisitar recursos, meios e estabelecimentos de saúde dos sectores privado e social, após tentativa de acordo e mediante justa compensação.

O estado de emergência tem a duração de 15 dias, e teve início no dia 9 de Novembro e vai até ao dia 23 de Novembro.

Quinta, 12 de Novembro de 2020