Liga dos Servos de Jesus prepara centenário da fundação

Liga dos Servos de Jesus prepara centenário da fundação

Festa Anual decorreu no Outeiro de São Miguel

Liga dos Servos de Jesus prepara centenário da fundação

 

A Liga dos Servos de Jesus viveu, no dia 28 de Agosto, a Festa Anual, assinalando 59 anos da morte do seu fundador, o antigo bispo auxiliar da Diocese da Guarda, D. João de Oliveira Matos, com os olhos postos na comemoração do centenário da fundação que terá lugar e 2024. Devido às contingências da pandemia, o programa foi muito diferente do habitual, com o tempo de adoração vivido em cada uma das comunidades.

A Eucaristia evocativa da festa anual foi presidida pelo Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, na Capela do Outeiro de São Miguel, onde se encontra o túmulo do Venerável Servo de Deus, D. João de Oliveira Matos. Concelebrou D. António Moiteiro, Bispo de Aveiro, bem como alguns sacerdotes da Diocese da Guarda.

“As nossas Constituições propõem que esta festa tenha como seu objectivo a acção de graças, a reparação, o reforço da unidade entre todos os membros da Liga dos Servos de Jesus (espírito de família) e o incentivo ao aperfeiçoamento”, disse D. Manuel Felício, durante a homilia. Considerou que “a festa da Liga dos Servos de Jesus há-de ser, antes de mais, para nos colocarmos diante da figura do Sr. D. João, servo de Deus que há 59 anos partiu para a casa do Pai”. E acrescentou: “Evocamos, por isso, a sua memória e revisitamos o seu exemplo, particularmente o das suas virtudes heróicas oficialmente reconhecidas pela Igreja no processo de beatificação – canonização que está em curso”.

Das virtudes heróicas do antigo Bispo Auxiliar destacou “a vontade decidida de trabalhar e sofrer por uma Igreja Santa”. Lembrou os relatos sobre a vida de D. João Oliveira Matos que dão conta de que “nada mais o alegrava, em seu coração de pastor, do que encontrar almas sedentas do ideal cristão e apaixonadas pela santidade verdadeira”. Sublinhou ainda “o amor incondicional à Igreja” e particularmente à Diocese da Guarda, que dedicadamente serviu no ministério episcopal durante 40 anos.

“Sendo um Bispo do seu tempo, soube identificar bem a realidade da nossa Igreja Diocesana, a começar pelas dificuldades próprias daquele tempo, com claras marcas de descristianização e alguma perseguição à Igreja que se seguiram à implantação da República”, explicou o Bispo da Guarda. E acrescentou: “Soube definir muito bem os caminhos que era preciso percorrer, como soube também reunir os meios necessários para promover a necessária renovação”.

Na homília, D. Manuel Felício lembrou ainda o “grande exemplo de evangelizador” de D. João de Oliveira Matos, presente nas “visitas pastorais, com a pregação, o serviço de confissões e, em geral, a ida ao encontro de todos, doentes e tantos outros que não podiam vir ou simplesmente estavam afastados”.

Durante a celebração tomou posse o novo Coordenador Geral dos Servos Externos da Liga, Jorge Craveiro, e respectivo conselho, que irá conduzir a Liga dos Servos de Jesus para a celebração do seu centenário, em 2024.

D. João de Oliveira Matos (1879/1962) foi Bispo Auxiliar da Guarda (1922), onde fundou a Liga dos Servos de Jesus (1924). Abriu diversas casas, nomeadamente a do Outeiro de S. Miguel, na Guarda, onde instalou uma Escola-oficina. Em 2024, a Liga dos Servos de Jesus assinala o centenário da sua fundação.

Quarta, 1 de Setembro de 2021