Cristo esquecido em Vila Garcia

Cristo esquecido em Vila Garcia

Imagem estava escondida atrás do retábulo da capela

 

 

Uma imagem de Cristo, com mais de sessenta centímetros de altura, foi descoberta em Vila Garcia, concelho da Guarda, durante os trabalhos de conservação restauro do retábulo da capela do Senhor dos Esquecidos. Na aldeia não há lembrança de tal peça de arte de cariz popular, esculpida em finais do século XIX. A peça, em madeira policromada, vai ser recuperada e integrada na Igreja paroquial de Vila Garcia.

 

 

Em Vila Garcia, concelho da Guarda, não há memória da existência do Cristo pregado na cruz, que foi encontrado durante as obras de restauro do retábulo da Capela do Senhor dos Esquecidos. O achado causou surpresa e admiração mesmo junto dos mais velhos que nunca tinham visto tal imagem.

“O aparecimento deste Cristo foi uma surpresa completa” disse, ao jornal A GUARDA, o padre Ângelo Martins, pároco de Vila Garcia. “Os mais velhos não se lembram desta imagem que estava escondida atrás do altar e que encontrámos quando o retábulo foi desmontado para ser restaurado”, acrescentou.

 

“Não me lembro desta imagem, nem de ninguém falar dela”, disse António Joaquim Branco, de 67 anos, membro da Comissão Fabriqueira da paróquia de Vila Garcia. Habituado a acompanhar os trabalhos de restauro e conservação dos lugares de culto da paróquia, foi com assombro que viu aparecer a imagem do Cristo, no meio dos escombros do retábulo. 

Apesar da capela não ter culto habitual, “havia gente que vinha cá todos os domingos rezar o terço, mas ninguém se lembra desta imagem”, arrematou. 

 

Os técnicos de conservação e restauro, Celso Chaves e Margarida Soares, que estão a fazer a recuperação do retábulo, também ficaram amirados e muito satisfeitos com a descoberta. “Ficamos todos felizes quando encontramos alguma coisa nas nossas intervenções”, disse Celso Chaves, ao Jornal A GUARDA. Sobre os trabalhos de recuperação do retábulo da Capela do Senhor dos Esquecidos, em Vila Garcia, estes técnicos estão a melhorar o que existia, que se encontrava muito deteriorado. A intervenção em curso vai permitir criar mais equilíbrio em todo o conjunto e introduzir alguma talha para enriquecer o retábulo que é de cariz popular.

Celso Chaves acredita que “o artesão que construiu o retábulo foi o mesmo que esculpiu o Cristo que estava escondido”. Para este técnico de conservação e restauro “a imagem é do final do século XIX” e apesar de escondida tantos anos “parece estar bem conservada”.

O padre Ângelo Martins disse ao Jornal A GUARDA que “a imagem vai ser restaurada”. E acrescentou: “Possivelmente, as pessoas iriam gostar de o ver na Igreja paroquial”.

 

A Capela do Senhor dos Esquecidos, em Vila Garcia, está situada numa das extremidades da povoação, junto da estrada que faz a ligação entre a Guarda e Vila Fernando, uma zona onde residem muitas pessoas. As memórias paroquiais de 1758 não fazem referência ao templo que também foi restaurado recentemente e que guarda no seu interior a imagem do Senhor dos Esquecidos, da Senhora das Candeias, de Nossa Senhora de Lourdes e de Nossa Senhora de Fátima. Quando as obras estiverem terminadas deverá ser enriquecida com as imagens dos santos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto e com a antiga via-sacra da igreja paroquial.

A capela não tem culto habitual, uma situação que o padre Ângelo Martins quer ver alterada logo que as obras estejam terminadas. “Como a população está mais concentrada nesta zona vamos celebrar aqui a missa da semana, uma vez por mês”, explicou.

As obras de restauro do retábulo da Capela do Senhor dos Esquecidos vão custar cerca de dez mil euros e são pagas através de ofertas das pessoas. A paróquia já tinha feito obras na estrutura do edifício (telhado, paredes e chão), no valor de dezoito mil euros.

 

De acordo com António Branco “nos últimos 13 anos, a paróquia gastou 203 mil euros em obras de conservação restauro do património religioso, recorrendo apenas às ofertas das pessoas”. Recorde-se que a Igreja paroquial de Vila Garcia foi totalmente reconstruida e os altares todos recuperados e dourados.

Quarta, 17 de Outubro de 2018