“Novas Adolescências e os Desafios à Catequese” juntou mais de duas centenas de catequistas

“Novas Adolescências e os Desafios à Catequese” juntou mais de duas centenas de catequistas

Departamento Da Catequese da Infância e Adolescência

“Novas Adolescências e os Desafios à Catequese” juntou mais de duas centenas de catequistas

 

Cerca de 250 catequistas participaram, no dia 19 de Janeiro, na formação sobre as Novas Adolescências e os Desafios à Catequese, que decorreu no auditório do Centro Pastoral de Viseu. A iniciativa foi organizada pelos Departamentos Diocesanos da Catequese de Aveiro, Coimbra, Lamego, Guarda e Viseu.

 

Esta iniciativa contou com a colaboração do padre Manuel Queirós, da diocese de Vila Real, do Antropólogo e Teólogo Alfredo Teixeira, professor da UCP e do padre Paulo Alves, professor no Instituto Piaget e sacerdote de Lamego.

D. António Luciano, Bispo de Viseu, presidiu à abertura dos trabalhos, tendo realçado a importância do ministério do catequista na Igreja, para a transmissão da fé, não esquecendo o papel preponderante da família.

 

Alfredo Teixeira disse que a adolescência surge associada a uma cultura, é identificada por determinados traços, como por exemplo: a precocidade, a imagem de si, uma certa visão do mundo e a forma de construir um sentimento de pertença a um grupo, baseada numa linguagem tipicamente emocional. A forma com a fé se estrutura, enquanto experiência vivida, depende das diferentes etapas da vida.

Paulo Alves aludiu ao facto da Experiência de Deus ser vista à luz da Psicologia do Desenvolvimento, determinante para compreender as etapas da transmissão da fé e a identificação com Jesus Cristo.

 

O padre Manuel Queirós, responsável pelo Departamento de Catequese da diocese de Vila Real, reforçou o papel do catequista como aquele que ajuda a fazer o caminho com o catequizando.

 

D. Manuel Felício, Bispo da diocese da Guarda, encerrou os trabalhos, deixando uma palavra de entusiasmo e encorajamento a todos os presentes, destacando, mais uma vez, a importância deste serviço nas comunidades cristãs, apelando para o sentido missionário da acção catequética e dos seus agentes.

 

Da Diocese da Guarda estiveram presentes quase cem catequistas.

Quarta, 23 de Janeiro de 2019